Impacto no quadril

Olá pessoal!

Estou iniciando a sessão “Quadril no esporte” onde teremos a oportunidade de discutir e conhecer as doenças do quadril que acometem os esportistas profissionais e amadores.

O tema da vez é a dor no quadril causada pelo “Impacto Fêmoro-Acetabular”.

1 – O que você quer dizer com “Quadril”?

Quadril é nome dado a articulação entre o fêmur e a bacia. É onde a cabeça do fêmur se encaixa na bacia numa região chamada “Acetábulo”.

2 – O que é o Impacto Fêmoro-acetabular?

Quando o encaixe entre a cabeça do fêmur e a bacia não é perfeito (“incongruência”), os movimentos do dia a dia machucam o quadril, especialmente quando rodamos a perna para dentro ou a dobramos. Isso ocorre devido uma imperfeição em um dos ossos ou nos dois!

3 – O que sentimos?

Dor na virilha que piora com os movimentos, principalmente, quando dobramos e rodamos o quadril. Além disso, também podemos sentir dor na coluna lombar e no joelho.

4 – Quem é atingido?

Em geral homens e mulheres dos 20 aos 40 anos.

5 – Quais os esportes que mais se relacionam com a doença?
  • 1. Futebol
  • 2. Tênis
  • 3. Squash
  • 4. Rúgbi
  • 5. Hóquei
  • 6. Natação (nado clássico ou de peito)
  • 7. Surfe e Wakeboard
  • 8. Yoga
  • 9. Ciclismo de estrada
  • 10. Remo
  • 11. Automobilismo (em carros baixos)
6 – Como é feito o diagnóstico?

Além da história clínica de dor e o exame físico realizado pelo ortopedista, a radiografia traz imagens que mostram alteração do formato circunferencial típico que leva ao impacto.
A ressonância é utilizada para confirmar o diagnóstico.

7 – Como é tratada?

Inicialmente é tentado o tratamento com fisioterapia, medicamentos e mudança, se possível, das atividades que provocam os sintomas.
Se persistirem os sintomas, opta-se pelo tratamento cirúrgico.
A cirurgia pode ser realizada de forma aberta ou por artroscopia (vídeo).
A cirurgia por artroscopia (vídeo) apresenta a vantagem de ser menos invasiva, pois realizam-se cortes bem pequenos (2 ou 3 cortes de 1,5 centímetros, cada um). O que se faz é corrigir o formato da cabeça do fêmur e do acetábulo e suturar (costurar) tecidos moles se estiverem rompidos.

8 – Como é a recuperação?

O paciente recebe alta no dia seguinte ao procedimento, fazendo uso de muletas nas duas primeiras semanas e tem previsão de retorno às atividades esportivas de 08 a 12 semanas após a cirurgia.

Vinícius de Brito Rodrigues
Ortopedista e Traumatologista – TEOT 14.502
Cirurgia do Quadril
Pós graduado em Medicina Esportiva