Como é feita a cirurgia do ligamento cruzado anterior (LCA)?

A cirurgia para correção da ruptura  do LCA evoluiu muito nos últimos anos. O Dr Hay Groves foi o primeiro a fazer em 1917. Nessa época, tentava-se suturar (costurar) o ligamento e os resultados não era muito animadores. Anos mais tarde, o procedimento entrou na era moderna, quando, ao invés de apostar na recuperação do ligamento, passou-se a fazer um novo ligamento, chamado de Reconstrução do LCA.

A própria reconstrução também passou por muitas fases. A técnica evoluiu de aberta para fechada através da vídeo-artroscopia e os métodos de fixação do enxerto foram ficando cada vez menos invasivos.

Neste post, vou explicar exatamente os procedimentos da cirurgia no modelo atual talvez mais utilizado entre os cirurgiões.

Etapas da cirurgia atual:

1a etapa – Retirada do enxerto.

Na primeira etapa, retira-se o tecido que será utilizado para reconstrução. Dentre as opções viáveis, o autor habitualmente opta pela retiradade tendões flexores situados bem próximos ao joelho.

 
2a etapa – Preparação do enxerto.

Aqui, limpam-se, dobram-se e suturam-se os tendões para que fique em formato de um charuto, pronto para ser inserido no joelho.

 
3a etapa – Artroscopia.

Através de duas mini incisões na frente do joelho, introduzem-se a câmera e os instrumentos para avaliação interna do joelho. Faz-se uma avaliação e tratam-se outras lesões que podem ser encontradas nas cartilagens e meniscos.

 
4a etapa – Confecções de túneis.

Monitorando através da câmera, fazem-se um túnel no fêmur e outro na tíbia. A saída dos túneis dentro do joelho deve ficar exatamente onde estavam os restos do ligamento original.

5a etapa – Passagem do enxerto.

Passam-se os fios amarrados no enxerto pelos tuneis e o puxam-nos para dentro do joelho.

6a etapa – Tensionamento e fixação do enxerto.

Vários dispositivos podem ser utilizados para travar o enxerto ao osso. São eles: parafusos, clipes ou pinos. Todos são eficazes.

 
7a etapa – Finalização

Após fixado, o enxerto é testado sendo puxado por um gancho enquanto é observado pela câmera. Estando tudo ok, fazem-se a sutura e o curativo.

Pronto, ligamento refeito! Agora, inicia-se a fase de recuperação pós-anestésica para então começar a reabilitação.